Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Largo do Beco

O mundo num beco. A cultura num blogue.

Largo do Beco

O mundo num beco. A cultura num blogue.

20.04.18

Quinta de la Rosa reforça aposta na produção de cervejas artesanais


helena margarida

Quinta de la Rosa

‘La Rosa IPA’ foi a primeira aposta, em maio de 2017, da Quinta de la Rosa, na produção de cervejas artesanais. Agora chega ao mercado com uma “receita” melhorada” a primeira edição da ‘La Rosa Lager’.

Para este novo negócio da empresa duriense, para além do papel da gestora Sophia Bergqvist, foi fundamental o envolvimento dos seus “mestres cervejeiros”: Philip Bergqvist (irmão de Sophia e ambos proprietários da Quinta de la Rosa); Kit Weaver (24 anos, é filho mais velho de Sophia); e Jorge Moreira (enólogo da Quinta de la Rosa). Mas não só! Porque tudo começou com uma conversa entre amigos, entre os quais estavam um mestre cervejeiro em Cambridge, Richard Naisby, da The Milton Brewery, “num desses momentos em família aqui na quinta”, conta Sophia Bergqvist. “Começamos a falar de cerveja e no facto de alguns produtores de espumante, em Inglaterra, estarem a estender o negócio à cerveja. Então, pensei em aproveitar as cubas de inox que usamos no vinho para a cerveja. O meu irmão e o meu filho ficaram de imediato muito interessados em avançar com o projeto. O Jorge Moreira também”, explica. E, rapidamente rumaram a Cambridge para aprender o processo da produção cervejeira com Richard Naisby.

Estava, assim, traçado o caminho para a produção de duas cervejas artesanais: ‘La Rosa IPA’ e ‘La Rosa Lager’. A ‘La Rosa Stout’, que será feita com um vinho do Porto muito especial - o ‘Quinta de la Rosa Vintage’ - sairá para o mercado ainda este ano.

A produção cervejeira é feita na adega que a família Bergqvist detém em Sabrosa, onde foram criados espaços próprios: um laboratório de análise específico para este produto e um contentor frigorífico para manter a temperatura da cerveja no ponto.

A ‘La Rosa IPA’ (7,0%; €3,50) apresenta uma cor “dourado acobreado” e, na boca, notas de frutos cítricos, como a laranja e o maracujá, mas também nuances florais, características provenientes dos lúpulos utilizados e das barricas onde estagiam. É uma cerveja encorpada, com um pronunciado amargor, o que a torna fresca e fácil de beber. Produzida em pequenos lotes de cerca de 1000 litros cada, esta cerveja é feita a partir de cevada maltada Maris Otter adicionada a uma variedade de lúpulos e fermentos, alguns dos quais são acrescentados ao longo das várias fases de produção. Esta cerveja fermentou e estagiou em barricas de carvalho novas, por onde apenas havia estagiado o ‘La Rosa Reserva branco 2017’, fator que a torna singular e com cariz duriense.

O dourado, desta feita mais claro, dá cor à ‘La Rosa Lager’ (5,5%; €3,50). No palato denota acidez e um ligeiro aroma floral que, no conjunto, resulta num equilíbrio perfeito, deixando o paladar fresco e prolongado. Apesar de complexa, é de fácil consumo. A produção é feita em pequenos lotes, de cerca de 1000 litros cada, onde é utilizada a cevada Maris Otter com variedades de lúpulos e fermentos. Nesta, a fermentação ocorre em cubas de inox, durante 10 dias e a uma temperatura de 10.ºC.

A venda das cervejas ‘La Rosa’ fica a cargo da conceituada DCN Beers, empresa com 25 anos de experiência na importação e distribuição de cervejas artesanais, que provou e aprovou este “projeto”, destacando a drinkability das cervejas La Rosa.

estamos no Facebook e no Twitter.
visita também a Bilheteira do Largo
publicidade
wook é uma oferta?