“Quem não deve não teme”: Tony Carreira reage à polémica

Foi em dose dupla. Tony Carreira reagiu ontem à notícia do Ministério Público o ter acusado por crimes de plágio, em conjunto com o compositor Ricardo Landum.

Durante a tarde de ontem, a Regi-Concerto, empresa que gere a vida artística do cantor, reagiu à acusação. Num comunicado publicado na página de Facebook, é dito que a acusação “parte de uma queixa oportunista da Companhia Nacional de Música, a qual não representa qualquer autor ou artista envolvido nas obras em causa”. O comunicado reforça que “nenhum autor ou artista aprosentou queixa” e que “questões passadas de direitos autorais foram resolvidos em devido tempo”.

“Já começa a ser um bocadinho chato!” – Tony Carreira

Já depois deste comunicado, o próprio cantor decidiu dar uma entrevista à SIC sobre o assunto. Em tom de brincadeira referiu que o assunto do plágio já dura “há 10 anos. Já começa a ser um bocadinho chato!”

Tony Carreira corrobora o comunicado da sua agência: “É um assunto que está resolvido com quem de direito que são os autores de alguma canções”, diz o cantor.

O artista aproveita para lançar críticas à Companhia Nacional de Música dizendo que “é uma entidade que, por outros motivos, decidiu pegar neste para estragar uma imagem, para forçar algo ao qual não tem direito”. “Sei o que a Companhia Nacional de Música quer, mas não terá”, reforçou.

Questionado se esta queixa seria para difamar o nome artístico dos Carreira, o artista foi perentório: “Não acho: tenho a certeza!”.

Deixar um comentário