Prémio José Saramago entregue a Julián Fuks

O Prémio José Saramago 2017 foi esta quarta-feira atribuído ao romance “A Resistência”, do escritor brasileiro Julián Fuks. A distinção foi anunciada ao final da manhã por Guilhermina Gomes, diretora editorial do Círculo de Leitores e presidente do júri.

A obra, que em 2016 recebeu o Prémio Jabuti para melhor romance, é inspirada nas razões que levaram os pais do autor a abandonar a Argentina e aborda questões como a identidade e o exílio.

“Do drama de um país, a Argentina a partir do golpe de 1976, desenvolve-se a história de uma família, num retrato denso e emocionante. Adotado por um casal de intelectuais que logo iria procurar exílio no Brasil, o rapaz cresce, ganha irmãos e as relações familiares tornam-se complexas. Cabe então ao irmão mais novo o exame desse passado e, mais importante, a reescrita do próprio enredo familiar”, pode ser lido na apresentação do livro.

O prémio bienal, criado pela Fundação Círculo de Leitores, depois de José Saramago ter ganho o Prémio Nobel, tem como objetivo distinguir jovens escritores e celebrar a literatura em língua portuguesa.

Julián Fuks sucede, assim, a Bruno Viera Amaral, vencedor da edição de 2015.

Deixar um comentário