Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Largo do Beco

O mundo num beco. A cultura num blogue.

Largo do Beco

O mundo num beco. A cultura num blogue.

30.01.18

Fevereiro para todos os públicos no Centro Cultural Malaposta


helena margarida
O Centro Cultural Malaposta, em Odivelas, recebe no mês de fevereiro, espetáculos únicos, dirigidos a diferentes públicos.No dia 1 de fevereiro, a partir das 21h45, o café-teatro servirá de palco à peça de Teatro “Lisístrata ou a Greve de Sexo”, de Aristófanes que estará em cena de quinta-feira a domingo, até 11 de fevereiro, com um custo de 7,50 euros. Lisístrata é um dos clássicos gregos mais antigos que chegam até aos dias de hoje, profundamente atual.[caption id="attachment_83640" align="alignleft" width="320"] Divulgação[/caption]Uma comédia na qual o poder das mulheres é enaltecido com recurso ao humor para falar de problemas sérios da sociedade. Passada no século V, na guerra do Poloponeso, que durou vinte e sete anos, a história começa por uma reunião de mulheres de toda a Grécia, amigas e inimigas unidas para alcançar o mesmo, a paz. A ideia de que através de uma greve de sexo poder-se-ia terminar com os conflitos entre as cidades-estado surge de Lisístrata, uma mulher cheia de força e garra, pouco comum nas mulheres daquele tempo. Ao longo da peça as mulheres tomam a Acrópole, exigem ser elas a tomar as decisões e a intermediar o acordo entre Atenienses e Espartanos, pois dizer ser mais capazes de o fazer. Com sedução e provocações para deixar os maridos inflamados de desejo, as mulheres pretendem obrigá-los assim a acabar com a guerra. Entre mulheres, homens, velhas, velhos, magistrados e profecias de forma leve e descontraída termina a peça com a reconciliação dos rivais acompanhada de um grande banquete repleto de alegria e da tão desejada paz.[caption id="attachment_83641" align="alignright" width="320"] Divulgação[/caption]No dia 3 de fevereiro, o Teatro é para a Infância. “Um Tigre Sem Riscas”, sobe ao palco, na Sala Experimental, às 16h30, uma Produção do Palco de Chocolate, com Cristina Vilas e Natasa Marjanovic. Esta peça destina-se a crianças de 1 aos 5 anos e tem um custo de 7,50 euros. O tigre Nando vive entre os mimos e melodias da sua avó e os ritmos da empregada Beni. O problema é que este tigrinho tem medo de tudo e até de nada. No meio dum banho perde as riscas. Todos na floresta o confundem com um gato e o desafiam para grandes aventuras. O Nando acaba sempre a choramingar e assustado. Um dia aconteceu uma coisa muito grave e o tigre Nando foi posto a prova. Hum… Será que com coragem as riscas vão aparecer?[caption id="attachment_83642" align="alignleft" width="320"] Divulgação[/caption]O grupo “Too Loud, Too Specific” atua no Auditório, dia 16 de fevereiro, às 21h30, para maiores de 12 anos, com um custo de 10 euros. A década de 1980 foi um período marcante do século XX, tanto a nível social, politico e cultural. Marcada por guerras civis, golpes de estado e ameaças nucleares, simultaneamente surgiam descobertas científicas e tecnológicas que foram fundamentais para o crescimento cultural. Culturalmente, o movimento New Wave ganhou terreno para se expandir, influenciando a música as artes plásticas e visuais. Esta peça desenvolve-se com a estética adjacente aos anos 80, agarrando imagens muito fortes das cores, dos sons, dos temas e personalidades que caracterizaram a época. “Too Loud, too Specific” é um medley de situações marcantes transportadas para a contemporaneidade (tal como os ambientes neons, os night riders, os fatos de treino completos, as luzes de discoteca e as fantasias adjacentes).[caption id="attachment_83643" align="alignright" width="320"] Divulgação[/caption]O teatro volta novamente à “casa da Malaposta”, no dia 25 de fevereiro, pelas 17h00, com a peça Um Espetáculo de Comédia Dell’ Arte, no dia em que se comemora o Dia Internacional da Commedia Dell’Arte.Dois atores interpretam 13 personagens neste conto épico de reinos inimigos, amores impossíveis e uma floresta cheia de criaturas míticas, baseado no estilo Pastorale – Boschereccia da Commedia dell´Arte. Usando improvisação como método e transparência cénica como técnica para contar a história, Mariana Dias (Portugal) e Andrew Crupi (Itália/ Austrália) transformam-se dinamicamente entre múltiplas personagens. Os arquétipos Zanni (Criados), Vecchi (Velhos), Capitano. Innamorati (Amantes), mas também Reis, Rainhas, Sátiros, Ninfas, Gigantes e até Amazonas, todos ganham vida neste espetáculo interativo e divertido. Estreado na Austrália para o 2016 Adelaide Fringe Festival, e após um Tour pela Austrália do Sul, Mari & Crupi trazem agora este espetáculo a Portugal e Europa, maioritariamente falado em inglês, com partes em português e italiano.
estamos no Facebook e no Twitter.
visita também a Bilheteira do Largo
publicidade
wook é uma oferta?