Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Largo do Beco

O mundo num beco. A rádio num coreto. A cultura num blogue.

Festival Literário de Viseu vai por tudo "Tinto no Branco"

Divulgação

“Vinhos de Inverno” vão ser degustados “Tinto no Branco” de 1 a 3 de dezembro em Viseu. O evento vai ser servido no Solar do Vinho do Dão e tem assinatura da Câmara Municipal e Viseu Marca.

Divulgação

O rótulo de eleição volta a ser o Festival Literário onde nomes como Ricardo Araújo Pereira, Michel Palin, Pedro Mexia, Daniel Oliveira ou Frei Bento Domingues irão brindar a conversa sobre literatura universal e mesa regional com vinhos do Dão.

O mundo das letras vai estar em afinação com o dos vinhos, mas na pauta do “Tinto no Branco” também estão escritos nomes como os Virgem Suta, Francisco Cappelle, Benjamim ou Poetry Ensemble.

No final de cada noite de Festival Literário a Tenda Jardins de Inverno vai ser adega maior para DJ Gryzzler e DJ António Arede.

Nesta carta de “Vinhos de Inverno” há ainda muito teatro para graúdos e marionetas para miúdos, poesia e visitas guiadas a “Viseu Misteriosa” ou ao Museu Nacional Grão Vasco para descobrir que “As mulheres não têm bigode”.

estamos no Facebook e no Twitter.
visita também a Bilheteira do Largo

Paço da Giela convida pais e filhos a construir a Pré-história

Divulgação

Construtores da Pré-história: a anta do Mezio é a denominação da oficina organizada pelo Paço da Giela, em Arcos de Valdevez, que vai desafiar pais e filhos a recriar cenários do Neolítico.

A atividade está agendada para sábado, 25 de novembro e, apesar de gratuita, está sujeita a inscrição prévia (Email: pacodegiela@cmav.pt, Telefone: 258 520 529 ou Telemóvel: 965 995 094).

Entre as 15h00 e as 18h00 através dos instrumentos pré-históricos expostos no núcleo museológico do Paço de Giela, os participantes vão ficar a conhecer as antas da serra do Soajo ou do Mezio e descobrir como eram construídos estes grandes monumentos em terra e pedra há cerca de 7000 anos. Durante o período do Neolítico o Homem deixou marcas da sua presença na região do Alto Minho e do concelho de Arcos de Valdevez. Não sabemos onde habitavam, porque as suas cabanas de madeira, barro e colmo desapareceram com o passar dos anos. Mas as grandes sepulturas de pedra, que ergueram em memória dos seus antepassados, permaneceram eternizadas nos planaltos da Serra do Soajo. Sabe-se que o esforço coletivo era muito importante para estas comunidades, e é com base neste propósito que o desafio é lançado a pais e filhos: para que juntos recriem maquetes da anta do Mezio e dos rituais associados.

estamos no Facebook e no Twitter.
visita também a Bilheteira do Largo

Mazgani em digressão com “The Poet’s Death”

Divulgação

Londres, Lisboa, Braga ou Loulé são algumas das cidades por onde vai passar a Tour de Mazgani. Na estrada com The Poet’s Death, o seu mais recente trabalho discográfico, Shahryar Mazgani vai ter como companhia em palco Vitor Coimbra no baixo, Isaac Achega na bateria, Manuel Dordio e Peixe na guitarra (este último somente nas datas de Ílhavo, Braga e Lisboa).

Nascido no Irão em 1975 chegou a Portugal aos quatro anos em fuga da Revolução Islâmica de 1979. Sobre o seu quinto álbum Mazgani confidenciou ao suplemento Ípsilon do jornal “Público” que fez canções com recursos mínimos, desenvolvidas sem pressas, gravadas sem procurar a perfeição. “É preciso que haja arestas para sermos gente, para sermos indivíduos, para sermos sujeitos”.

Em “The Poet’s Death” Mazgani assume “uma tentativa de mapear novas geografias interiores”, novos processos e locais deixando que as palavras surgissem naturalmente e até novas posições na guitarra que os dedos desconheciam.

 

Datas da Digressão

 

 

estamos no Facebook e no Twitter.
visita também a Bilheteira do Largo

Prémio Carlos Paredes 2017 atribuído a Ricardo Ribeiro e ARTEMSAX & Lino Guerreiro

Divulgação

Ricardo Ribeiro com “Hoje é assim, amanhã não sei” e ARTEMSAX & Lino Guerreiro com o “Projeto Michel Giacometti” são os vencedores do prémio Carlos Paredes 2017.

Direitos Reservados

 A concurso estavam 26 trabalhos discográficos editados em 2016 e o júri, constituído por José Jorge Letria (representante da Câmara Municipal), Pedro Campos (compositor e músico), Ruben de Carvalho (crítico musical) e Carlos Alberto Moniz (compositor e músico, representante da Sociedade Portuguesa de Autores), considerou que os dois projetos vencedores, sendo estruturalmente diferentes, “representam o que de melhor se faz atualmente e de forma complementar, por um lado no fado tradicional, e por outro na música tradicional, reinventada com um estilo único”.

Divulgação

 

O Prémio Carlos Paredes é promovido pela câmara municipal de Vila Franca de Xira desde 2003. Este ano a cerimónia de entrega vai decorrer na Sociedade Filarmónica Recreio Alverquense (Alverca) dia 23 de novembro, às 21h30, e inclui a atuação dos vencedores.

A entrada é livre, limitada à lotação da sala.

estamos no Facebook e no Twitter.
visita também a Bilheteira do Largo

Jazz Jam Session para transformar Café Teatro da Malaposta em Clube de Jazz

Divulgação

A Casa da Cultura da Malaposta em Odivelas vai transformar-se a 24 de novembro num Clube de Jazz. Jam Session tem hora marcada para o Café Teatro às 22h00, e preço único de 3,50€.

Vão ser 90 minutos de Jazz onde o Jam que é como quem diz: tocar sem saber o que vem à frente, de improvisação, vai ser o maior desafio. Como em todos os clubes de jazz, após o número principal, os músicos presentes vão ser convidados para subir ao palco e tocar com a banda sem nenhum ensaio prévio.

Nesta “session” irá estar a Academia de Música da Ramada com alunos, professores e amigos, que irão contribuir para transformar a Malaposta num Clube de Jazz todos os meses.

Uma oportunidade para ver estes músicos em estado puro, orgânico, numa partilha de momentos irrepetíveis, onde o público também pode participar de forma ativa. Jazz Jam Session pretende-se que sejam noites de boa Música, criatividade e improviso.

estamos no Facebook e no Twitter.
visita também a Bilheteira do Largo